top of page
  • Foto do escritorkerysonlima

Com quem está a razão: Flávio Dino ou Roberto Rocha?


A Alumar divulgou esta semana que planeja reiniciar sua capacidade de produção de 268 mil toneladas métricas de alumínio por ano, que estava suspensa desde 2015. Com isso, será possível a contratação de mais de 750 colaboradores diretos, além de 1500 empregos indiretos. O investimento é na ordem de R$ 400 milhões, que vão poder dar continuidade à fabricação de alunima para exportação, que é o principal produto da multinacional.


A boa notícia foi comemorada pelos maranhenses. Principalmente, pelo atual momento de crise que vivemos, agravado pela pandemia. Mas, já vemos uma perspectiva de mudança desse quadro de infecções do novo coronavírus, e a possibilidade da volta à normalidade.


Diante da iminente oportunidade de geração de empregos no Maranhão, o Marketing do Governo Flávio Dino aproveitou o anúncio da Alumar para publicizar que foi a diminuição de impostos, os esforços do Governo do Maranhão que facilitaram o retorno da atividade da Alumar.


Quem não gostou desse posicionamento foi o senador Roberto Rocha, que tratou logo de usar as redes sociais para dizer que Flávio Dino estava mentindo. Segundo Rocha, as alegações do Governo são inverdades, uma vez que Dino teria aumentado os impostos da energia, o que poderia até atrapalhar o funcionamento da multinacional.


Roberto Rocha disse que se o Governo quisesse diminuiria os impostos, a exemplo do Rio Grande do Sul e Distrito Federal. O senador tem cutucado o governador Flávio Dino pelo aumento do ICMS e até fez uma enquete nas suas redes sociais perguntando qual o único governador do Maranhã que aumentou a alíquota do ICMS.


Roberto Rocha faz questão de frisar que o retorno das atividades da Alumar não são frutos de Flávio Dino, pelo contrário, isso está acontecendo em virtude da Zona de Exportação do Maranhão (ZEMA), de autoria de Roberto Rocha.


Segundo o senador, a ZEMA vai facilitar a criação, por exemplo, de fábricas de panela e outros utensílios fabricados com alumínio. E esse projeto de Roberto Rocha teria chamado a atenção da Alumar para a retomada da sua produção no Maranhão.


Sendo assim, Flávio Dino está querendo surfar numa onda que não é sua. O episódio é mais uma contenda, queda de braço entre Rocha e Dino. De novo a criatura não se conformado com as atitudes do seu criador.

168 visualizações0 comentário
bottom of page