top of page
  • Foto do escritorkerysonlima

Mais uma vez a paralisação dos rodoviários deve sobrar para a população


Os rodoviários estiveram reunidos na última quarta-feira e dicidiram que vão paralisar, por tempo indeterminado, o sistema de transporte público em São Luís na próxima quinta-feira.


A categoria dos rodoviários não teve as reivindicações atendidas pelo sindicato patronal. Dentre as solicitações dos trabalhadores estão: reajuste salarial de 13%, redução da jornada de trabalho para 6 horas, ticket alimentação no valor de R$ 800, inclusão de um dependente no plano de saúde e a concessão do auxílio creche para trabalhadores com filhos pequenos.


O Sindicato das Empresas de Transporte - SET disse que no momento é inviáel conceder o reajuste solicitado pelos trabalhadores e as demais reivindicações.


Diante desse impasse, o sistema de transporte público deve paralisar e trazer sérios transtornos aos usuários do serviço.


Mais uma vez os rodoviários fazem greve no período que os empresários estão querendo reajustar a tarifa das passagens. Os empresários estariam querendo reajuste de R$ 1,10 na passagem, que pularia de R$ 3,70 para R$ 4, 80.


Até parece uma coisa combinada entre os sindicatos dos empresários e dos trabalhadores. Segundo os opositores do sindicato dos trabalhadores, o sindicato dos rodoviários é apenas um "puxadinho" do sindicato patronal. De acordo com alguns relatos, a diretoria do sindicato dos rodoviários tem ligação direta com os empresários do setor.


Na semana passada, um dos opositores da atual gestão do sindicato dos rodoviários disse no programa Conexão 560, apresentado pelo titular deste Blog na Rádio Educadora, que as empresas que chegam de outros estados e que querem dar um salário equivalente aos praticados fora daqui são pressionados a manter o já praticado na capital maranhense.


Nesta sexta-feira, o Prefeito Eduardo Braide se pronuncionou, nas redes sociais, contra o reajuste no valor das passagens.


"Não terá aumento de passagem de ônibus em São Luís! O momento é de melhorarmos a qualidade dos serviços. Pra isso estamos trabalhando todos os dias", postou Eduardo Braide.


Caso a greve aconteça, quem vai sofrer os reais danos é a população que depende do transporte coletivo. O SET já ingressou com uma ação na justiça para que 80% da frota circule durante a paralisação.

38 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page